segunda-feira, 14 de setembro de 2015

[Mais uma vez, com sentimento] 10 Episódios subestimados do Buffyverse





Amigos caçadores, sabemos que entre os fãs sempre existem aqueles episódios favoritos e entre a crítica, os melhores, que se tornam os mais famosos de todo seriado. Mas e quando alguns episódios que são menos aclamados tanto pelos fãs quanto pela crítica mostra qualidades tão ou melhores perceptivas que os outros? 

Pensando nisso, selecionamos 10 episódios entre BTVS e ANGEL que merecem uma segunda olhada com nossa atenção mais carinhosa. 

Lie to me (Minta pra mim – BTVS S02E7)


Buffy revisita seu passado através de um amigo de infância que está morrendo. Para isso, o rapaz pede “ajuda” aos vampiros Spike e Drusilla para “driblar” este veredicto tornando-se belo e jovem para sempre. 

Com uma temática toda voltada para o público jovem, a grande sacada dos roteiristas do episódio foi colocar o inevitável como o maior medo de todos na mesma idade. O envelhecimento e a Morte. Até onde alguém iria para se manter vivo e jovem? Segundo o episódio, até as últimas consequências, como trair uma amiga. 

Além disso, a solidão de muitos nessa época os fizeram acreditar que tinham algo em comum com os vampiros, que viviam uma vida à parte. Com um roteiro totalmente sem furos e diálogos perfeitos, foi um dos belos representantes do pacote da aclamada segunda temporada. 

The Zeppo (O Zé Ninguém - BTVS S03E13)


Neste seguimos com Xander, o mais humano do grupo que aqui se via totalmente perdido em seu futuro acadêmico e sem utilidade para a turma de Heróis. Depois de um caso de Demônios, a turma decide que o rapaz deveria ficar de fora das missões mais perigosas. 

Assim com mais uma Apocalipse eminente, coube ao belo moreno de sorriso contagiante, ser o cara das rosquinhas, para deleite de Cordelia, magoada com ele. Enquanto Buffy, Faith e cia. tentavam impedir a tragédia, Xander vivia sua própria aventura com direito a zumbis, assassinos e uma rapidinha com Faith no final. E um momento nesta aventura chamou a atenção em particular. Enquanto estamos ocupados com o Monstro que saía das profundezas, eles nem imaginavam que se o amigo de Willow não tivesse desativado uma bomba na outra sala do Colégio, todos teriam ido pelos ares. Em outras palavras, o cara sem poderes salvou os heróis tornando-se um e com um detalhe impressionante: sem que ninguém (apenas ele) soubesse disso. 

Com Xander como centro das atenções, o episódio foi um primor no contexto e especialmente nos textos leves e irônicos. 

Lonely Hearts (Corações solitários – ANGEL S01E02)


Já com a equipe praticamente formada, Angel, Cordelia e Doyle investigam o súbito desaparecimento de clientes de uma famosa Boate. Logo sabemos que esta Boate é uma espécie de “Clube dos Solteiros”, e dentre eles, encontramos a Policial Kate Lockley. Com o andamento das investigações, descobre-se que tudo isso era obra de um Demônio que nunca se sentia completo, realizado e por isso tinha de saltar de corpo em corpo até encontrar um que fosse perfeito. 

Toda esta trama demoníaca serviu como metáfora para quem vive na Cidade dos Anjos e tem uma necessidade quase insaciável de se conectar com alguém. Já tínhamos visto em BTVS que o tema da solidão em LA era recorrente em jovens perdidos (episódio Anne da terceira temporada), mas aqui foi mais aprofundado, pois atinge também aos adultos, experientes em suas próprias emoções. Neste ponto, podemos dizer que nossos heróis, especialmente Angel e Kate, se igualaram ao Demônio, pois todos precisam de um “calor humano”. 

A alusão ao calor é usado para mostrar a única ferramenta que pode matar o Demônio. Com uma trilha sonora perfeita e um roteiro redondinho, chegou com tudo na primeira temporada do Vingador da Noite. 

The Ring (O Ringue – ANGEL S01E16)


Angel investiga um sequestro e acaba se envolvendo em uma trama perigosa onde Monstros tem que lutar em uma Arena para sobreviver. Ao estilo gladiadores, cada qual tenta vencer usando os mais variados recursos em uma briga. Vence o que atingira um número de vitórias, ou melhor, assassinatos, já que é preciso matar seu oponente.

É interessante vermos Angel mais uma vez em contato com o seu instinto animalesco. Na minha opinião, é algo pouco explorado dentro da história do vampiro com alma. Sabemos que os vampiros ainda conservam feições humanas, às vezes impossível ver o Monstro dentro de si. E quando Angel deixa de ser o "alguém especial" entre eles, se iguala aos Demônios que não têm como se esconder por detrás de um belo rosto, ele recupera uma identidade que esquecemos que tem e que é muito importante para sua história de redenção. Além disso, o enredo chama a atenção da maioria dos fãs masculinos, que se identificam com o tema "clube da luta". 

Superstar (O Superastro – BTVS S0417)


Caminhamos com o baixinho insosso Jonathan, que se sentia totalmente marginalizado no Colégio. Com o fim do Sunnydale High a coisa piorou, tornando-se um jovem sem nenhum propósito na vida. Assim não foi difícil para ele usar alguns truques mágicos recém descobertos para alterar a realidade onde ele era uma espécie de Senhor de tudo, entrando em contato com todas as vertentes do mundo.

Quem quando adolescente/jovem nunca quis ser e saber a despeito de tudo? E se você tivesse poderes para alterar sua realidade? Esta foi a pergunta que impulsionou um dos melhores roteiros da criticada quarta temporada. Jonathan tomou conta do episódio, com direito a abertura especial como o Caçador no lugar de Buffy, aqui como uma mera coadjuvante. Deve ser por este motivo que o episódio é tão detestado pelos fãs, mas não podemos negar que a criatividade e ousadia, marcas registradas dos roteiristas do Buffyverse, esteve latente nesta bela história. 

Real Me (Meu verdadeiro Eu – BTVS S05E02)


Quem é essa garota? Foi a pergunta que todos os fãs fizeram após terminar o episódio anterior. E para abrilhantar ainda mais a já brilhante quinta temporada, os roteiristas tiraram Dawn, a irmã mais nova de Buffy, da cartola. Não que as perguntas cessassem, pelo contrário, elas se fizeram ainda mais presentes. Mas foi justamente nesta “indiferença” ao público que se deu a jogada mais feliz dos autores nos apresentando sem nenhum drama a garota que seria a chave da temporada. 

Aliás o drama passou longe desse episódio onde o tom de comédia fez o pano de fundo para uma história leve narrada através da perspectiva da menina misteriosa. Todos os personagens forma desnudados por este ponto através de um texto maravilhoso conferido a ela e seu diário. Simplesmente genial! 

Are You Now or Have You Ever Been 
(Agora ou sempre – ANGEL S02E02)


Cordelia e Wesley ajudam Angel a investigar uma série de assassinatos misteriosos no Hotel Hinperyon. Ao mesmo tempo que o vampiro tem uma lembrança de seu passado como hóspede de lá e tudo que provocou sua presença. 

O ano é 1950, e o trabalho dos produtores neste sentido foi impecável, incluindo o cabelo de Angel, que diga-se de passagem, ficou muito fofo com aquele corte. Todos os detalhes de produção, figurino e maquiagem daquele tempo deram suporte a um episódio muito interessante. Tendo todo este aparato como base, encontramos uma garota negra, que para conseguir um emprego melhor, passou-se por uma branca, o que acontecia com frequência naquela época. E para finalizar, testemunhamos uma das primeiras vezes em que Angel tentou ser um Herói, mas como nada era perfeito, seu instinto de vingança falou mais alto. 

Provider (Provedor – ANGEL S03E12)


Com mais uma boca para alimentar, Angel resolve aceitar um trabalho importante com uma grande renumeração. Ele só não esperava que toda esta grana tivesse um preço bem maior que a nota apresentada. Sua amiga Fred perderia literalmente a cabeça neste processo. 

A questão do Heroísmo X Dinheiro sempre rendeu bons debates dentro do Buffyverse. Sabemos o quanto nossos heróis sempre estiveram dispostos a defender os mais oprimidos como um dever sagrado, ou uma missão dada. Porém, sem crise, é inegável que com a vida civil que levam, o dinheiro torna-se imprescindível. Ele pode até não comprar tudo, como bem avaliou Angel no final, mas dá uma tremenda ajuda, especialmente para quem quer adquirir muitos recursos em prol de uma causa maior. O vampiro irá concluir isso melhor quando se aliar a Wolfram & Hart no final da quarta temporada. 

Aqui ainda vimos alguém que ainda não se acostumou com a nova situação, em ser o provedor da casa. O roteiro em torno da misteriosa índole dos clientes também rendeu bons momentos de suspense. 

As you Were (A Última forma – BTVS S06E15) 


A sexta temporada não estava sendo uma das mais brindadas pelo público. Talvez pela questão da brusca mudança do enredo de BTVS, que agora dava aos personagens um tom mais adulto, com problemas condizentes de sua idade. Para puxar a fila dessa mudança, encontrava-se Buffy, uma Caçadora sem vontade de caçar, presa em momentos de incertezas, depressão e desprezo pela vida. Foi neste momento em que estava por baixo, ela recebeu a visita de seu ex namorado, agora casado e com a mulher a tiracolo. Inclusive há uma cena representativa que explana bem isso. No Doubleameat Palace quando vê Riley em sua frente, Buffy exclama: - “Não sabia que você era tão alto”. 

Que Riley nunca tenha sido um dos personagens mais queridos do público, todos sabemos. Porém aqui é necessário enxergar no rapaz suas boas qualidades, e uma delas, é o Amor que sempre teve por Buffy. E junto com esse Amor sempre teve a admiração pela heroína e pela mulher que ela é. Por isso coube ao ex Soldado da Iniciativa abrir definitivamente os olhos da Caçadora para a vida, que lhe foi dada novamente como uma dádiva e assim, teria de ser apreciada. 

Ao voltar com a vida toda estruturada, Riley mostrou a Buffy que a “roda nunca parava de girar”, como um Amor que pode nunca ter dado certo, mas que as pessoas seguiam em frente. O choque de realidade quando confrontou Buffy com Spike, fez a loirinha cair em si e ver o quanto era destrutiva aquela relação. Spike nunca poderia ser o Elo sadio que ela tinha com o mundo. Pouca gente valoriza este episódio, mas eu particularmente, o considero chave para a recuperação de Buffy na temporada. 

Why We Fight (A razão da luta – ANGEL S05E13)


Em um flashback, vimos Angel e Spike como Soldados na Segunda Guerra Mundial a bordo de um Submarino militar. Angel fora recrutado contra sua vontade, já que na época possuía uma alma, enquanto Spike se envolveu por pura diversão, afinal, violência e caos eram seus sobrenomes. Neste tempo, Angel teve de tomar uma decisão que foi contra os preceitos de alguém com uma alma.

O episódio mais terrível da história da humanidade ganha a versão do Buffyverse de forma contextual. De um lado, o vampiro com alma, que representou os milhões de Soldados que sequer sabiam das atrocidades cometidas pelo Nazismo. De outro, um que não se importava nenhum pouco com o destino trágico da humanidade. O primeiro ponto interessante do episódio é confrontar Angel e Spike em situações diferentes. Na maioria dos flashbacks vimos os dois como os vampiros desalmados que conhecemos. Angel fazendo a linha de mau para enganar Spike ao mesmo tempo que sente a dor de todos que estão perdendo suas vidas no confronto. 

No fim, para salvar a vida de um Comandante, ele lhe dá a imortalidade, mas sabendo que o mesmo será um Monstro como ele foi. Uma atitude que gerou uma crise moral de quem tinha uma alma. Criar um outro “Angelus” não era o objetivo de Angel, porém ele teve de pagar pra ver e acabou tendo que sofrer com estas consequências. Herói ou vilão? Quantos homens se perguntaram isso durante a Segunda Guerra. E qual foi realmente o propósito de se perder tantas vidas? Um tema bem comentado pela humanidade que impulsionou uma trama historicamente rica do Buffyverse.

4 comentários:

  1. Flávia, eu penso que por mais que certos episódios não tenham agradado o público, eu compreendo que os roteiristas de ambas as series tenham se esforçado em tentar inserir uma essência e algo a ser aprendido naqueles 45 min., e que os telespectadores precisam desvendá-lo!

    Dessa sua lista, o episódio em que o Angel enfrenta um ringue mortal e o que Xander tem de ''salvar'' está entre os que me agradaram (até agora)!

    Só uma fã do Buffyverse como você para ter essa sensibilidade de decifrar o que está por trás desses episódios que aparentemente não dizem nada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí William, valeu!

      Essa foi a essência do que tentei passar. Muitos episódios que às vezes não estão entre os mais queridos e famosos, mas que tem uma importância muito grande dentro do Buffyverse. Eu sempre bato nesta tecla de listas por esta questão mesmo. Eu nunca penso em colocar apenas minhas preferências, e sim o que representou para o Buffyverse. Se fosse pelas minhas preferências, alguns não estariam aí, é a verdade kkkkk

      Espero que muitos tenham esta sensibilidade também, afinal, listas são listas né?

      Excluir
  2. Flávia, pra falar a verdade eu nem me lembrava do episódio "Lie to me", mas concordo com as suas considerações, é um episódio muito sensível...o "The zeppo" pra mim é genial, além das razões já citadas o episódio inteiro ocorre na perspectiva do Xander, então o grande apocalipse que eles enfrentam fica tão distante e sem emoção, fica cômico, muito bem pensado...Não gosto muito do "Superstar", acho a ideia interessante, mas me cansei um pouco...Concordo totalmente com o seu texto do "Real me"...Eu gosto da volta do Riley, apesar de não gostar do personagem, ela traz muitas consequências pro seriado. Além de podermos desvendar mais os sentimentos da Buffy com relação ao Spike na cena "Diz que me ama..." Que se mostra um grande momento de carência, de necessidade de se sentir amada não importava por quem...

    Adorei querida, é bom relembrar estes episódios menos comentados =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Graziella pela atenção!

      E que bom que minha postagem serviu pra vc relembrar de um episódio muito bom! Isso exemplifica o que o post quis dizer. Se fosse um episódio "famoso", todos se lembrariam....kkkkk

      Eu considero Superstar uma extensão de O Alcance da voz, como já postei aqui. Por isso a ideia dos roteiristas foi genial. Mas como sempre digo, listas são listas e vc pode concordar ou não né?

      Obrigada, e abraços

      Excluir

Obrigado pelo seu comentário! Continue nos acompanhando!