terça-feira, 15 de novembro de 2016

[Lições] Pintando um novo cenário




No final da segunda temporada, a Fanggang inseriu uma nova integrante na turma, mas esta nova integrante parecia não estar tão integrada assim. Fredless, episódio 05 da terceira temporada de ANGEL, aparou as arestas deixadas pela presença de Fred. 



Durante 5 longos anos, ela viveu em Pylea uma vida, ou melhor, semivida numa Caverna úmida e escura. De fato este vem a ser o motivo da garota assustada se sentir bem nos esgotos da cidade a ponto de tomar um delicioso sorvete ao lado de seu belo Herói. 

A existência quase condenada de Fred naquele buraco tirou dela tudo que a definia antes de cair no Portal. Imaginamos que a estudante Winnyfred Burkle, recém chegada a Los Angeles tenha sido uma boa filha, uma ótima aluna e uma mulher mais forte que aparentou, afinal, conseguir sobreviver numa Caverna durante tanto tempo requer uma força para poucos. 


Da garota desaparecida a moça da caverna:
era hora de resgatar o elo perdido

Quando saiu de Pylea a bordo do conversível de Angel e se seus amigos, a moça entrou numa nova realidade. Não a realidade mostrada de números e equações incompreensíveis aos olhos menos apurados e dos Monstros e Demônios dimensionais. A realidade agora era outra. Todos sabiam disso, mas ela ainda não conseguia se sentir totalmente parte daquele mundo e nem daquelas pessoas que a rodeavam. 

Por essa razão, Angel (“seu herói gordo segundo Cordelia”), era o elo mais sólido entre o mundo de Pylea e o quarto de Hotel, que inconscientemente transformou em uma nova versão de sua Caverna. Neste caso, confundir dependência com Amor foi absolutamente normal. 

Mesmo que fosse a escolhida de Angel neste sentido, Fred ainda precisava se resgatar de alguma forma, e para isso, teria de se encontrar dentro desse novo mundo totalmente ocioso para ela. 



Seu contato com uma realidade que não queria aceitar se personificou na forma de seus amorosos Pais Roger e Trish, que depois do sumiço da filha contrataram um Detetive que os levaram até o Hyperion Hotel. 

Antes de descobrirem toda a verdade acerca de Fred e seus mais novos amigos, eles tiveram de enfrentar a recusa da moça, que queria simplesmente se manter confortável naquela nova realidade. 

O olhar perdido de Fred na Rodoviária:
"Para onde irei?"

O choque de rever os Pais trouxe a tona lembranças ruins quase insuportáveis de um tempo que ela gostaria mesmo de nunca ter acontecido. Naquele momento, Fred se sentia alguém vivendo um Conto de Fadas ao lado de seu Cavaleiro de Armadura, segura em seu Castelo particular. E como a personagem que criara, só queria ser uma Donzela para seu Príncipe. 

“Era uma vez uma garota que vivia sozinha numa Caverna horrível, tão longe de casa que fazia seu peito doer. Todo dia naquela Caverna horrível, ela tentava descobrir uma maneira de escapar. Nenhum de seus planos dava certo, e ela desistiu de ter esperanças até que um dia um lindo rapaz veio num cavalo e a salvou, e a trouxe de volta ao Castelo.” 

Mas acham que termina assim, como os finais felizes de Conto de Fadas? 

O Herói Angel sem saber o que fazer neste momento

O reencontro com seus Pais derrubou Fred de seu cavalo de segurança, e desabou em suas lembranças sofridas e perturbadoras. Neste momento, só mesmo a força interior que sempre teve antes de ser sugada pelo Portal, a levantou do chão e ajudou a mostrar a todos seu verdadeiro valor na equipe ANGEL. Mostrar que sua inteligência e perspicácia poderia ser útil na luta contra o Mal.

Fred e os Pais: reencontro e Adeus

Fred não era mais a Winnyfred de Roger e Trish. A moça normal que queria uma carreira normal, viver uma vida normal e morrer de forma normal não estava mais em seus planos. Agora ela era uma peça importante na luta entre o Bem e o Mal e assim sendo, ser normal nada tinha mais a ver com isso. 

A moça da Física é um dos tantos outros personagens do Buffyverse que sacrificaram uma vida idealizada por um Bem maior, mas poucos deles conseguiram resgatar com tamanho êxito suas virtudes e recriar um novo Conto, Destino para si próprio.

Hora de pintar um novo cenário

Que todos nós consigamos sempre deixar de lado o que nos aflige, excluir coisas que não nos edificam como seres humanos e pintar um novo cenário para nossa vida. 

3 comentários:

  1. Amo a Fred!
    Como sempre vc traz uma excelente reflexão...
    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu querida pela atenção de sempre.

      Abraços também!

      Excluir
  2. Concordo, grande reflexão que esse post da Flávia nos transmite!!!

    Após 5 anos de privação em outra dimensão, em que foi regredindo gradativamente de um ser humanizado para um ser hominizado, Fred é resgatada e tem a oportunidade de recomeçar; e o pouco tempo de convivência com a Fang Gang foi criando um vínculo para ela, além dela quebrar o clichê de seguir uma vida normal, abraçando uma nobre causa, que é lutar contra o mal.

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário! Continue nos acompanhando!