terça-feira, 11 de novembro de 2014

[Lições] Get It Done – Faça o Serviço!


Buffy, a caça-vampiros, nasceu com uma missão muito clara. Salvar o mundo das terríveis criaturas que tem como objetivo trazer o caos e destruir tudo que é bom. 

Como a mocinha da história, o mais correto é que seus poderes viessem da Luz, de algum lugar bem iluminado. Para quem sempre acreditou nessa teoria explicaria muitas coisas na vã Filosofia que cerca o mundo. Mas estamos falando do Buffyverse e suas mutações surpreendentes que ajudam a equilibrar as forças dessa balança e dar a ela um meio-termo. 


O caminho de Buffy pode ter sido claro desde o início, mas ela, seus amigos e todos que compõe este Universo de heróis e vilões com o passar do tempo dariam de cara com uma realidade menos convencional. 

Primeiro a própria Buffy descobriu que seu Amor era um Ser das trevas sugador de sangue. A princípio quis abraçar sua missão até descobrir que Angel fora amaldiçoado com uma alma incapaz de fazer Mal a um ser vivo além de expiar durante anos e anos um mal inominável que cometera. 

Angel: muito além do "namoradinho" de Buffy

Depois de provar esta história, Angel ganha a confiança de todos e passa a fazer parte do grupo no combate contra os seres que fazia uma social na época em que era o flagelo da Europa. O lado vampiro do redimido Angel veio a calhar em um momento crucial da vida de Giles. Em The Dark Age estar morto lhe rendeu importantes pontos ao libertar do corpo de Jenny um Demônio criado pelo bibliotecário em seus tempos de juventude transviada. 

O mais engraçado foi a exclamação de Angel depois do ocorrido: “Eu tinha um Demônio dentro de mim há uns 200 anos só esperando por uma boa briga”. Ou seja, ele e todos sabiam que mesmo que tentasse conservar características humanas, Angel fazia parte de uma classe demoníaca, os chamados mestiços, e aceitar este fato era essencial para Buffy e seus caçadores de Demônio. Até seu lado mais perverso, Angelus, teve alguma relevância para o lado do Bem nesta batalha.

Vencedor e ainda campeão

Em Enemies da terceira temporada de BTVS, ele usou e abusou com muita competência do nome que fez tremer todos que cruzaram seu caminho durante mais de 100 anos. Uma artimanha certeira para enganar a caçadora Faith e descobrir o grande plano do Prefeito Wilkins. 

Angelus voltaria novamente a ser usado como feixe de esperança para a turma de Angel quando Wesley contrata um Shaman para extrair a alma de Angel e devolver ao mundo o vampiro cruel com o intuito de parar a Besta e seu Apocalipse eminente. A ordem do Mal era manipular Angelus, como manipulavam Cordelia, depois que a mesma aceitou e ganhou uma metade Demônio para resistir às visões. Contudo, o vampiro foi mais esperto e acabou descobrindo coisas que ajudaram a turma no final. Mas antes, ele teve um encontro pouco amistoso com uma velha conhecida. 

O malvado Angelus: Soldado ocasional para o Bem

A dicotomia caçadora e vampiro voltou com tudo. Na prisão de onde estava depois de aprontar tudo com seus poderes mal empregados, Faith foi salva por Wesley como mais uma esperança para salvá-los de um enorme perigo. A caça-vampiros que um dia mudou de lado, foi o remédio para aquilo que seria o remédio. Ela teria de caçar Angelus, o mesmo vampiro que uma vez quis se aliar assim como se aliou ao malvado Prefeito Wilkins. 

O lado B de Buffy desde cedo percebeu que não gostava de seguir regras e que podia fazer tudo que a fez especial, livre e sem limites. Five por five (Cinco por cinco), até tocar as trevas e ser consumida a ponto de desequilibrar esta porcentagem. O grande Poder de Faith, assim como o de todas as caça-vampiros corrompe e corrupção vem do lado negro dessa força. A própria Buffy, a boazinha da história percebeu isso antes de se tornar uma heroína completa, não perfeita. 

Faith e Angel: caçadora e presa em dois momentos distintos

Foi na quinta temporada de BTVS que nossa heroína conheceu a origem de seus poderes apresentado já no primeiro episódio pelo famoso Drácula. O mítico vampiro revelou a caçadora que ambos tinham uma ligação muito forte através das trevas. A partir daí Buffy teve de lidar com a certeza de que a morte era seu verdadeiro Dom. 

Como caça-vampiros era sinônimo de matar, ser uma assassina aos olhos mais críticos. O lado negro de seus poderes revelado a fez aceitar com mais naturalidade o mundo que a cercava. A família composta por Seres além da humanidade, como os Demônios, bruxas, vampiros, lobisomens. Toda esta miscelânea de poderes que usava com presteza em cada missão como a mesma diz ao Sentinela Quentin Travis em Checkpoint: “Uma ex-Demônia de 1000 anos (Anya) e duas bruxas superpoderosas (Willow e Tara)”

Além disso, Buffy sempre podia contar com Spike, que mesmo ainda sem alma e com interesses menos nobres, contribuía e muito para a turma.

Buffy vs. Drácula: adversários com muito em comum

Como já havia matado duas caça-vampiros, Spike se torna a fonte ideal de informações para que Buffy entendesse tudo acerca do momento da morte das caçadoras. Em Fool for love o vampiro domesticado serve como guia para a caçadora em sua viagem no tempo até a grande revelação que seria entendida perfeitamente em The Gift. Após ser contemplado com uma alma, Spike passa definitivamente para o lado do “Bem”, sendo uma das maiores figuras da frente de batalha de Buffy e Angel. 

O "Professor" Spike e a "aluna" Buffy: importantes lições

O lado demônio que adormecera com uma alma, é chamado de volta por Buffy quando a mesma precisa de sua força de lutador para capturar a moeda de troca em Get It Done. Exatamente nesta passagem que Buffy fica frente a frente com parte de sua origem. 

Ela já sabia que seus poderes provinham das trevas, mas vê-los e especialmente senti-los ao vivo e sem cores, foi uma experiência nova, revoltante e assustadora. Assim Buffy se negou a ter mais dos poderes das trevas, pensando assim em preservar sua humanidade mesmo que Spike e Willow pudessem ser inseridos neste meio. Aliás, nossa amada bruxinha é mais uma neste jogo que experimentou o poder do lado de lá.



Antes de tentar acabar com toda a dor e sofrimento do mundo desenterrando um Templo Satânico, Dark Willow foi apenas Willow, a melhor amiga de Buffy que se aventurou no mundo da Magia por uma boa causa, afinal, foi ela quem fez o ritual que devolveu a alma de Angel. Um feitiço poderoso que fez da nerd tímida e sem confiança alguém especial e de suma importância para a turma. 

O crescimento de Willow na Magia poderia ser algo bom para todos, mas começou a assustar até mesmo Tara, que chega a expor sua preocupação em Tough Love sem saber que neste mesmo episódio Dark Willow daria sinais de que estava surgindo. Depois que Glory toma o cérebro de Tara, Willow recorre pela primeira vez aos livros de magia negra. Tomada pela raiva e Poder, a bruxinha sai para enfrentar a Deusa. 

A força da magia negra conjurada por Willow foi a única capaz de arranhar a arrogância de Glory e ela então começou a achar que estes poderes a tornava mais forte, passando a usá-lo para as coisas mais corriqueiras ou para benefício próprio. Tara percebeu que sua namorada estava indo em uma direção que dificilmente teria volta para ela e a deixou para que ela mesma percebesse o Mal em que estava se envolvendo. Durante algum tempo, isso deu certo, mas depois da morte de Tara, o poder não pôde mais ser contido, dando origem a versão Dark da bruxa, que entre outras consequências "positivas", mandou o detestável Warren para o Inferno das mulheres poderosas. 

Este poder dark com um controle maior seria de grande valia em batalhas futuras como quando foi chamada para mais uma vez restaurar a alma de Angel e combateu Cordelia possuída em Orpheus. 

Willow e seus poderes: a personagem que
mais transitou entre a linha Bem e Mal


Devolver a alma a um Demônio parece mais ou menos complicado do que fazer acordo com um. Quem o diga o incansável Capitão Daniel Holtz, um caçador de vampiros que mesmo com suas convicções e integridade inabalável, fez um pacto com o inescrupuloso Demônio Shajahan para acordar no futuro e ter a oportunidade de matar Angelus e sua parceira Darla. 

Para cumprir sua missão, Holtz se sujou com magia negra além de recrutar por certo tempo Demônios para executar suas ordens. Para o velho Capitão, este “sacrifício” valeria a pena se o casal de vampiros enfim, tivesse o que merecia como uma questão de Justiça não só a ele, mas também a todas as vítimas. Para um humano com a alma de Holtz, isto era um caminho irreversível, assim como também seria para um vampiro com alma, que também fez um pacto com o Diabo, no caso com os Advogados do Diabo. 

Holtz e Shajahan: parceria de necessidade

As sucessivas derrotas impostas por Angel a Wolfram & Hart fez a Firma aparentemente jogar a toalha. E como prova de terem aceitado a derrota, cedeu a ele e seus fiéis seguidores todos os recursos disponíveis para continuarem travando a boa luta. E não era pouca coisa, afinal, para uma Firma que está no ramo há milênios, os recursos são ilimitados. 

Pensando nisso, o que aconteceria se estes mesmos recursos agora fossem convertidos para o Bem? Foi o que Angel se indagou antes de pagar para ver transformando durante algum tempo o Antro do Mal em local de esperança para os mais necessitados dando o suporte abalizado a toda sua turma. 

Basta lembrar que Buffy também tentou essa parceria duvidosa com a Iniciativa, a mesma Organização que tinha como lema “Demônios são ruins, humanos são bons”, mas que usava os mesmos coisas ruins em benefício da humanidade neutralizando-os ou criando Soldados/armas mais fortes com partes demoníacas. 



Como provado, no Buffyverse nada é 8 ou 80 como bem diz a maquiavelicamente inteligente Lilah, que também já teve seu momento heroico quando atirou no misógino Billy. Para ela, quem uma vez se deixou seduzir ou tocou as trevas, entrou irreversivelmente no estágio cinza, ou seja, nem preto, nem branco, apenas cinza. Como tom de cicatrizes que jamais deixarão de existir. E assim como a poderosa chefona da Wolfram & Hart ditou se faz a eterna luta do Bem contra o Mal, ou para os mais realistas, o Mal contra o Mal. 

Lilah em seu momento justiceira: Bye, bye Billy!

Em suma, antes de serem vistos como par de Buffy na discussão Bangel vs. Spuffy, Angel e Spike são vampiros com alma, ou seja, demônios redimidos. Neste mesmo grupo tivemos muitas espécimes de heróis ocasionais ou não. 

Oz como um Lobisomem sanguinário vítima de uma antiga maldição era tão gente boa antes da lua cheia, que ganhou gratuitamente a confiança de todos. Anya, a ex-Demônia que bem auxiliou com sua vasta experiência entre dimensões e contatos demoníacos e que no fim, não fugiu à luta. Doyle, metade humano, metade Demônio, o Elo do Poderes que Valem que orientou Angel e deu a Cordelia as visões. Lorne, o Demônio festeiro leitor de almas guiando pessoas a seu Destino. Illyria e sua força descomunal como uma guerreira essencial na batalha derradeira. 

Angel e Spike, Oz, Anya, Lorne
Doyle e Illyria: queridas criaturas

Todos eles Demônios ou variações de suas essências. Todos eles partes de um Bem maior que vai além de pragmatismos dicotômicos. Todos eles parte de uma família inserida com sucesso num Universo que cada vez mais nos ensina pertinentes lições como saber que no mundo real às vezes precisamos ser fortes o suficiente para lidar com o pior a fim de que o serviço seja feito da melhor maneira possível. 

3 comentários:

  1. É verdade buffy é a escolhida mas come o pão que o diabo amassou. Cercada de um lado negro que é necessário para vencer as criaturas das sombras. Se acontecesse comigo ficaria logo depre por não poder amar o homem da minha vida, não sair para curtir a vida e só ver coisa cabulosa todo dia sabendo que a qualquer hora teria que entregar a minha vida pelo muno, nunca conseguiria me concentrar no meu serviço de caçadora.

    Eu nem sabia que a Dark willow ja tava mostrando as asas ainda na luta contra glory na temporada 5, sinal de que mexer com magia negra traz suas consequencias.

    São excelentes informações Flavia. Muita coisa to entendendo sobre buffy lendo aqui no blog, so falta colocar aqueles resumos de temporada que voces anunciaram. Bjs a todos da equipe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Helen que vc está curtindo e aprendendo algumas coisas ao mesmo tempo. É sempre bom a gente encontrar pessoas que ainda se surpreendem com algum detalhe, alguma informação sobre Buffy.

      É como aquele velho ditado "nada é tão simples assim. pra se fazer algo de consequências maiores, é necessário ir mais além". Eu ia falar apenas sobre o episódio Get It Done da sétima temporada, mas tinha muita coisa parecida e quis me estender um pouco mais.

      Obrigada pela atenção e valeu pelo comentário. Abraços

      Excluir
    2. Continue acompanhando Helen. Seus comentários são preciosos, para que possamos saber que nosso trabalho de cultuar as series do Buffyverse está sendo satisfatório!!!

      Sobre sua dúvida, em breve estamos planejando publicar esses resumos, aguarde só um pouquinho!!

      Beijos recíprocos!!

      Excluir

Obrigado pelo seu comentário! Continue nos acompanhando!