sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

[Retrospectiva Analítica] Buffy, A Caça-Vampiros - 6ª Temporada

Por:



Trailer da Sexta Temporada:






Título original: Buffy – The vampire Slayer
Título em português: Buffy - A Caça-Vampiros
Temporada 06: 02/10/2001 a 21/05/2002
Precedida pela Temporada 5 
Sucedida pela Temporada 7


Elenco Principal:

Sarah Michelle Gellar
Allyson Hanningan
Nicolas Brendon
Anthony Stewart Head
Michelle Trachtenberg
Emma Caulfield
James Masters

Elenco Coadjuvante:

Amber Benson
Adam Bush
Tom Lenk
Danny Strong

Participações Especiais:

Kristine Sutherland
Elisabeth Anne Allen
Kali Rocha
Hinton Battle (como o Demônio Sweet)





Nos planos iniciais de Joss Whedon e do canal americano The WB (subsidiária da Warner Bros.), as aventuras da Caçadora de Sunnydale chegariam ao ponto final na 5° temporada (fato esse confirmado pelo sacrifício heróico de Buffy para salvar Dawn e deter Glória/Glory). Mas o inesperado acontece: o canal UPN (United Paramont Network), adquire os direitos de exibição sobre Buffy (e tendo que adquirir a serie Angel também, como cláusula do contrato). Com isso, uma nova continuação precisou ser criada para o seriado da caçadora (pois o canal não tinha intenção de reprisar as temporadas anteriores, mas sim, mostrar episódios inéditos).

Os fãs americanos (e brasileiros) na época original da exibição devem ter vibrado de emoção com a novidade; mas aí surge uma dúvida: como a serie Buffy terá uma continuação se a personagem-título morreu na temporada anterior (com direito a lápide nas cenas finais, para que não haja nenhuma dúvida)??

Era preciso criar uma brecha para esse enredo ''bem amarrado''; e para isso, foi criado um episódio duplo: Então, foram convocados dois roteiristas para desenvolver essa tarefa nada fácil: a Marti Noxon e o David Fury (em que cada um elaborou o 1° e 2° parte, respectivamente).

Buffybot (Buffy Robô): opção para preeencher a lacuna deixada 
pela ausencia da verdadeira Buffy

A vantagem de Buffy ser um seriado sobrenatural, colaborou para que um elemento pudesse ser encaixado sem nenhum prejuízo à temática: a ressurreição. 

Tudo começa com uma cena de perseguição no cemitério de Sunnydale, em que os remanescentes da Scooby Gang estão no encalço de dois vampiros. De repente surge Buffy, que luta com as criaturas, e mata uma delas. Nos primeiros minutos, o público fica sem entender e se perguntado: Será que eu deixei de ver alguma coisa? Buffy morreu no episódio passado e neste ela já tá vivinha e lutando normalmente? 

Então fica esclarecido que se trata da versão robótica de Buffy (que foi produzida na 5° temporada para o Spike), que estava ali para simular ao mundo e ao submundo que a caçadora estava viva e na ativa (pois se soubessem da sua morte, a ''Boca do Inferno'' entraria em desequilíbrio com a infestação de criaturas sobrenaturais e sem a proteção da heroína).

Willow no feitiço da ressureição para trazer 
Buffy de volta à vida

Mesmo com esse fingimento, os amigos de Buffy não conseguiam disfarçar a imensa saudade que sentiam da mesma (que havia sacrificado sua vida para salvar o mundo meses atrás). Para piorar, Giles decide ir embora para Londres, acreditando ter se tornado inútil em Sunnydale (parece que ele cansou de somente ser um simples vendedor da loja de magia; ele queria também se um sentinela).

Enquanto isso, um vampiro acidentalmente descobre a existência da Buffy robô, quando consegue ferí-la numa caçada. Ele consegue escapar e espalha a notícia num bar fora da cidade; deixando contentes um grupo de motoqueiros demônios, que deslocam em caravana para Sunnydale.

Buffy6x01.jpg
Buffy em estado de choque devido à tafofobia

Willow (que indiretamente estava como líder da turma), decide então ousar nos seus conhecimentos de magia numa atitude nunca então utilizada por ela: trazer Buffy de volta à vida. A noite no cemitério da cidade, a bruxa ruiva se reune com Xander, Tara e Anya e inicia os ritos de ressurreição, o que faz a entidade sobrenatural desencadear um teste de resistência à Willow (ela sofre uma flagelação e vomita uma serpente).

Coincidentemente, os motoqueiros demônios chegam à Sunnydale e iniciam sua devastação. Spike e Dawn estão em casa quando eles começam e a Buffy Robô tenta impedí-los, mas é ferida novamente, fazendo-a fugir dos inimigos. A robô corre até o cemitério, onde estava os outros e fica encurralada pelos motoqueiros. O ritual para a ressurreição é interrompido e um dos itens acaba sendo destruído pelas motos.

Perguntando-se: o que está havendo? Como voltei?

O grupo acaba se separando. Willow cai desacordada devido ao despendio de energia usada no ritual, e de repente a cena corre para o túmulo onde Buffy está: o processo de ressurreição estava correndo. A nossa heróina acorda, porém num estado extremo de pânico, pois ela tem tafofobia (medo de ser enterrada viva, medo esse mencionado no episódio ''Pesadelos'', na 1° temporada).

Após escapar do caixão e se desenterrar, Buffy ainda está em choque e tentando entender como voltou ao mundo dos vivos . Caminhando por uma Sunnydale devastada, ela se depara com os motoqueiros (destruindo a Buffy Robô), e mais tarde conseguindo derrotá-los (quando seu instinto de caçadora se restabelece). Os primeiros episódios seguintes mostram Buffy ainda se recuperando da tafofobia e da inesperada ressurreição. Se o pessoal tivesse se lembrado de desenterrá-la antes do feitiço, provavelmente ela acordaria normalmente sem traumas!

Episódios mais tarde, com Buffy ''recuperada'', nossa heroína tenta recomeçar sua vida após a morte. Para manter-se com a guarda legal de Dawn e sustentar-se financeiramente, Buffy abandona a faculdade e decide tentar um emprego como vendedora de uma lanchonete (o ''palácio da dupla carne''). Após passar pelo teste de adaptação (que incluiu matar um demônio disfarçado de idosa, que devorava os vendedores da lanchonete), ela consegue a vaga.


O trio Warren, Johnathan e Andrew: nerds 
que caíram na tentação da vilania

Quando se pensava que o Xander era o único depressivo após o final do colegial, surgem outros 3 remanescentes do antigo e extinto colégio Sunnydale: Warren, Johnathan e Andrew. Sem perspectiva futura em suas vidas após concluírem seus estudos básicos, eles formam uma especie de sociedade em que queriam se dar bem tudo, mesmo que precisassem cometer atos ilícitos; e quando Buffy os detém em uma de suas ações desonestas, o trio promete retaliar nossa heroína de alguma forma. Consolida-se assim os vilões da temporada, que criam tramas normais e sobrenaturais para atrapalhar a rotina da caçadora.

Essa temporada explora uma temática bem adulta em comparação às anteriores; e o maior exemplo disso, são os episódios que mostram o caloroso envolvimento carnal entre Buffy & Spike. Após rejeitar às paqueras do vampiro em praticamente toda a 5° temporada, a caçadora adquire tesão pelo vampiro, e daí passa a protagonizar com ele as cenas tórridas de sexo. Ao longo dos episódios é notado que Buffy, ainda mantém resquícios de que está abalada pelo fato de ter regressado à vida, deixando numa instabilidade emocional que a faz topar transar com o Spike.

Halfrek, outro demonio da vingança e amiga de Anya


Mudando um pouco o assunto, personagens coadjuvantes tiveram destaque nesta temporada. O primeiro é o Riley, que regressa por 1 episódio à Sunnydale para cumprir uma missão militar secreta de destruição a um demônio, além de encerrar a participação do personagem de forma esclarecedora, após sua saída repentina na 5° temporada (e foi colaborador para o término da relação picante entre a caçadora e Spike). Outra personagem é a Amy, que após dezenas de tentativas frustadas de Willow, consegue voltar à forma humana e deixando de ser um rato. E por último, Halfrek, uma demônio da vingança que surge em Sunnydale a princípio numa trama feita por Dawn, mas que se revela como amiga de Anya

Amy persuadindo Willow ao caminho errado da magia

E por falar em Willow, ela começa a cada vez mais a se envolver em realizar magias complexas, desde quando ela conseguiu trazer Buffy de volta à vida, e aos poucos ela vai deixando de ser aquela gênia da informática para ser uma poderosa bruxa. O problema é que mexer com certas magias podem ter consequências terríveis para humanos que ousam lidar com isso; e mesmo com as advertencias de Tara, a ruíva persiste em se envolver, causando assim um rompimento na relação entre as duas.

E nesse abalo emocional, que a então humana Amy vai persuadindo a Willow para o lado negro da magia, apresentando-a a outros seres que compactuam do mesmo gosto. Aos poucos, Willow vai adquirindo uma personalidade egocêntrica, impulsiva e rebelde, no que culmina a se afastar também de seus amigos (o cúmulo, foi um incidente que machucou Dawn).

Anya volta a ser Anyanka devido à decepção com Xander

Outro aspecto que denota uma temática mais adulta na temporada, foi a questão da expectativa e decepção em torno do casamento de Xander e Anya. A ansiedade pelo matrimônio da ex-demonio contrastou com o temor do compromisso sério do amigo de Buffy e Willow. No fim, Xander recusa o casamento, levando Anya a uma crise profunda de lamentação, e logo a um desejo de voltar a ser o demonio da vingança à homens infiéis.

Rumo ao desfecho da temporada, Spike (ainda margando o desprezo de Buffy) decide mexer com forças ocultas para  se tornar um vampiro com alma e mais poderoso, para iniciar sua retaliação contra a caçadora.

Enquanto isso, cansado de perder para Buffy, Warren toma a radical atitude de tentar matar Buffy com uma arma de fogo. Tendo a discordancia de Johnathan e Andrew, Warren parte sozinho para onde Buffy está e tenta baleá-la; porém Xander consegue desviar a pistola da mira de Buffy, mas infelizmente, a bala atinge mortalmente Tara (que se reconsciliava com a bruxa ruiva) pela janela da casa de Buffy, fazendo-a morrer nos braços de Willow.

A morte de Tara, culminou para que Willow absorvesse para si todos os conhecimentos de maia negra que estão contidos nos livros da loja de magia. Logo o pouco discernimento que Willow ainda tinha dá lugar uma poderosa sede de vingança, deixando-a com um aspecto sombrio e bem diferente da Willow que conhecemos, tornando-se assim a Dark Willow.

Buffy vs Dark Willow

Começando sua caçada de vingança contra o trio (mesmo o assassinato de Tara não tendo o envolvimento de Andrew e Johnathan, eles viraram alvo), Dark Willow tortura e mata Warren, mas é detido por Buffy e cia. quando está prestes a matar os outros dois. A Caçadora está diante de um inesperado desafio: derrotar sua melhor amiga.

Giles retorna de Londres para auxiliar na batalha final

Surpreendentemente, Giles volta da Europa após saber da reviravolta de Willow, para tentar detê-la. Munido de magia, ele tenta alguns feitiços contra ela, mas Dark Willow é mais poderosa e o derrota.

A batalha final tem início. Dark Willow realiza um ritual de destruição do mundo (alegando que a energia vital da Terra irá acabar com a dor que está sentindo em seu corpo devido à magia negra), e ao tentar impedí-la, Buffy e Dawn são jogadas no subsolo.
E enquanto ninguém esperava, Xander é quem assume o papel decisivo de impedir que Dark Willow prossiga com a destruição do planeta, conseguindo com sucesso (e sem utilizar nenhum tipo de magia). A turma se reune após mais uma batalha vencida e Willow volta ao normal, arrependida e tomada pelo remorso por tudo o que fez devido à magia negra.

Após passar no teste, Spike tem sua alma restaurada

E nas cena finais, Johnathan e Andrew conseguem escapar fugindo para o México, e Spike passa no teste do ocultismo e tem sua alma devolvida ao corpo.

A utilização de uma temática mais adulta e sem muitas criaturas poderosas (com exceção da Dark Willow), foi uma tentativa de acrescentar uma novidade ao enredo de uma serie que foi programada para encerrar com chave de ouro na 5° temporada


Nota para a temporada: 8

EPISÓDIO MARCANTE:

Buffy6x22.jpg
22 - ''Grave'' (O dia do Juízo Final)
Por ter sido a batalha final
que não foi decidida pela protagonista

_________________________________




Buffy – Sexta Temporada

PONTOS POSITIVOS:

- A ressurreição de Buffy. Há fãs que preferem que a caçadora tenha tido um final digno com uma morte heroica. Mas eu particularmente, gostei de ver Buffy de volta à vida depois de saber o que viria a seguir. 



- Buffy Bot. Usada para substituir a Caçadora em Sunnydale, uma ótima oportunidade para a protagonista fazer rir amparada por situações e textos hilários. 



- A metáfora do abuso no uso de drogas. Com o avanço progressivo de Willow com a magia, podemos conferir uma das mais brilhantes metáforas do Buffyverse. Um alerta aos jovens dos perigos dos vícios, sejam eles quais for. Tudo foi construído com uma perfeição minuciosa.



- A “desratização” de Amy. Amy, a amiga ratinha de Willow, está de volta e sendo uma personagem proveitosa dentro do Buffyverse, foi o estopim providencial para a crise de Willow. 



- Vilania humana. Para a maioria, um trio de garotos chatos e sem noção, mas para mim, vilões oportunos. Com Buffy ainda tentando se acostumar com a vida e a turma toda devastada com seus problemas pessoais, nada melhor que vilões humanos para tentar equilibrar melhor as forças.



- Once more with feeling. Um dos maiores episódios da história da TV. Alegre e cantante, contrastando com a tristeza que vivia Buffy e as dúvidas da turma. 



- O Adeus estratégico de Giles. Com Buffy desconectada com sua vida, Giles se tornou um personagem dispensável. Em certos momentos, ele chegou a treinar a Buffy Bot (um dos piores momentos do seriado)



- O retorno de Riley. O ex namorado de Buffy retorna casado com uma única missão: abrir os olhos de Buffy para quem ela verdadeiramente foi e ainda é. Uma sacada brilhante dos roteiristas, encerrando muito bem a saga de um bom personagem.



- A conexão carnal entre Spike e Buffy. Embora não muito empolgante, fora necessária, não só para o desenvolvimento do vampiro na série, como também para que Buffy pudesse lidar com seus problemas. Nada além disso. 



- Dark Willow. O ápice da metamorfose da melhor amiga de Buffy, veio com um show de acontecimentos que fechou muito bem a temporada. Mérito para Alysson Haningan, criando uma personagem forte e coerente. 



- "Chegou a hora de ser a estrela principal". Devo confessar que não gostava muito dessa parte, mas ela acabou me conquistando a medida que prestei mais atenção no diálogo das personagens, afinal, a parte física da luta nunca me empolgou. 



- "Bored Now!" Willow vingando-se de todas as mulheres! 



- Xander, o Salvador. Ele que sempre foi o cara que fica de fora do palco, dessa vez brilhou no enredo bem propício de mocinhos e vilões humanos. 




PONTOS NEGATIVOS

- O enredo sem vampiros e monstros. Uma mudança brusca de contexto (adolescência para a fase adulta) não agradou muito os fãs do seriado, acostumados a ver Buffy como uma heroína incorruptível detonando os mais variados Seres das Trevas. 



- O reencontro não mostrado. Devido à exibição em canais diferentes, os crossovers de Btvs e ANGEL foram dizimados. Assim não ficamos sabendo como foi o reencontro do casal apaixonado após a ressurreição de Buffy. 



- A chave que não abriu mais nada. Com o fim de Glory e a história da Chave, Dawn ficou totalmente à margem durante toda a temporada, protagonizando a maioria dos piores momentos e episódios. Assim ela vagou sem rumo de chave, adolescente irritante a cleptomaníaca. 



- Os sinos que não tocaram. Outra personagem que também ficou desconectada foi Anya depois que Xander a abandonou no altar. Ela caminhou fora da linha principal do enredo até o final, deixando apenas lembranças da Anya da quinta temporada.




- Warren Mears. O personagem é chato, fraco, sem graça e ainda por cima misógino (homem que odeia mulheres). Embora defenda o contexto de sua existência dentro de um seriado com fortes raízes no Feminismo, ainda assim não consigo nem ao menos gostar dele. 



- Doubleameat Palace. Dentro de uma temporada com 22 episódios, alguns se salvaram, outros passaram na média dentro do padrão Buffy de qualidade. Mas no caso de Doubleameat Palace, a média ficou abaixo da crítica. De péssimo gosto, altamente trash e sem graça, é o pior episódio do seriado disparado. 




- A morte de Tara. Embora isso tenha desencadeado um dos melhores momentos da série, não achei justo a personagem de Benson ter morrido. Deveriam então mantê-la afastada de Willow, quem sabe a tornassem uma espécie de adversária da bruxa fora de si.....



7 Episódios que mais marcaram:



- 07 Once More, With Feeling (Mais uma vez com sentimento): 
no clássico “quem canta, seus males espanta”, um dos mais criativos 
episódios da série, se desenrola todas asa revelações da temporada




- 08 Tabula rasa: 
trazendo a ressaca de Once more with feeling, Willow tenta fazer com 
que todos esqueçam as consequências das revelações anteriores. 
Mas algo dá errado e a turma toda perde a memória




- 09 Smashed/10 Wrecked (Esmagado/Arruinado):
com Buffy fora de ação, Willow consegue trazer Amy de volta 
como uma espécie de “nova melhor amiga”. Ambas chegam ao 
fundo do poço na dependência de Magia




- 15 As You Were (Última forma): 
o retorno de Riley coloca Buffy nos eixos, a 
começar pelo fim da relação destrutiva com Spike. 




- 17 Normal again (Normal de novo): 
cada vez mais tentando fugir da realidade, Buffy tem 
uma oportunidade única de ser alguém que não quer 
assumir o seu destino. Agora ela terá de decidir a 
qual mundo ela pertence neste brilhante episódio




- 20 Villans (Vilões): 
a morte de Tara traz a Dark Willow, que começa seu plano 
de vingança contra Warren e seus amigos. Agora nem seus 
amigos, Giles e Buffy podem deter tamanho Poder


Conclusão: a sexta temporada de Btvs veio como um importante divisor de águas no seriado. As tramas centrais que eram mais leves e joviais, deram lugar a um contexto mais adulto e sombrio. Uma ideia oportuna dos roteiristas, que para trazer a Caçadora que tanto amamos de volta, tinham mesmo de promover uma reviravolta dessa magnitude. "Drogas", sexo e sexualidade, elemento menos explorado antes, ganharam uma importância capital dentro desse enredo. A estranheza causada pelo tom da temporada é compreensível, porém, criticamente, foi um fôlego considerável à história da Caça-Vampiros. 

Nota para a temporada: 8

4 comentários:

  1. Ficou muito boa a explicação, que essa temporada ficou mais adulta por causa dessa forçada em reativar a serie que era pra acabar na 5 temporada.

    Não sabia que Buffy tinha medo de ser enterrada viva quando ela volta a vida no caixão, mas quem não ficaria aterrorizada acordando dentro de um caixão debaixo da terra? Ate eu ficaria

    Sinceramente não gostei muito do trio de vilões nerds, eu queria a Dark willow fosse a vilã principal desde o início. Concordo com a Flavia que a Tara não tivesse sido assassinada e sim enfrentando a Dark willow. Sobre essa relação entre Spike e Buffy, foi bom ter terminado, pois pra mim a caçadora é e sempre combinará com Angel.

    O que vcs apresentam na review é da mesma forma que eu assisti. Parabens Flavia e William.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Helen pela atenção de sempre.

      O trio Nerd é bem melhor na ideia do que os personagens propriamente ditos. Eu detesto o Warren, não consigo nem ao menos gostar dele como disse na review...O Andrew pra mim é muito fraco. O que gosto mais é o Jonathan que deveria ter ficado na equipe no lugar do Andrew. Afinal, foi ele quem não concordou com a ideia inicial de matar Buffy e ajudou a Buffy falando do Orb que deu super poderes ao Warren. Se não fosse isso, Warren teria vencido a Buffy naquela luta. Por isso até hoje não entendi o porquê de colocarem o Andrew na equipe ao invés do Jonathan. Pode ser por compromissos do intérprete sei lá, já que ele virou um roteirista de sucesso em Hollywood. Game Chance e Jogos Vorazes estão aí pra comprovar.

      Quanto a Spike e Buffy foi pura relação carnal. Que me desculpe quem acredita que eles são um casal perfeito, mas não passa de relação utilitária para Buffy. Ela precisava sentir algo na nova vida e nada mais. Amor verdadeiro mesmo só com o Angel.

      No mais, valeu querida e volte sempre!

      Excluir
  2. A primeira vez que eu assisti o seriado achei a quarta temporada a mais sem graça e a sexta a próxima da lista. Mas assistindo novamente encontrei as qualidades da quarta e potencializei os defeitos da sexta. Estava esperando a review rs Até voltei na da quarta para olhar a nota que haviam dado.

    Acho que o que mais marca a temporada mesmo é esse ar sombrio, a temática adulta centrada em Buffy e Willow. Um ponto positivo pra série. Mas ela vem acompanhado de consideráveis erros, como o citado palacio da dupla carne (Por que, Senhor?), o casamento que não aconteceu, a inutilidade da Dawn e o Trio.

    Eu também odeio o Warren, Flávia rs A ideia da vilania humana foi boa, mas a execução falha. Eles eram muito bobos e não assustavam e o Warren era tão nojento que não dava pra olhar.

    A relação carnal incomoda. Enquanto eu assistia a temporada esperava que a minha mãe não estivesse por perto haha Porque é muito desagradável...Todo episódio a partir do Smashed tem pelo menos um momento constrangedor rs Eu acho que o Spike cresceu muito na quinta temporada, mas na sexta ele volta atrás...

    Eu fiquei muito abismada com esse reencontro que não rolou, ficou bem estranho...

    Mas apesar de tudo, o final da temporada conserta esses problemas. Apesar de sacrificar a Tara, eles tiram o trio do palco e dão bons finais aos personagens, como a busca pela alma e o amor de Xander salvando o mundo (depois da cagada do casamento).

    Muito legal, Flávia e William :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Graziella. A sexta temporada teve seus altos e baixos. Quando vi pela primeira vez, estranhei também, até porque assisti legendada e não me entusiasmava muito.

      Depois que passei a ver dublada, entendi melhor todo o contexto e hoje a considero uma das melhores neste sentido do seriado.

      Gostei muito, mas não desaprovo quem não gosta, afinal, causa estranheza mesmo. Valeu!!!

      Excluir

Obrigado pelo seu comentário! Continue nos acompanhando!