sexta-feira, 4 de julho de 2014

[A Eternidade] Joss Whedon: Um Gênio Cinquentenário

Por ``William´´ Gunn



   O The Slayers Brasil não abordará desta vez o elenco ou os personagens ligados ao universo de Buffy & Angel; mas sim, à pessoa responsável para que esse universo da ficção se tornasse realidade: Joss Whedon.




NOME COMPLETO:
Joseph Hill Whedon

NASCIMENTO:
23/06/1964 (Nova York, EUA)

FORMAÇÃO:
Wesleyyan University (Connectcut, EUA)

OCUPAÇÃO:
Escritor & Diretor


   Joss Whedon passou um tempo como um adolescente em um internato na Inglaterra, onde se tornou um fã de Stephen Sondheim e histórias em quadrinhos, antes de se formar pela Universidade de Wesleyan, em Connecticut, com uma licenciatura em estudos de cinema, e um foco em estudos femininos.
   Joss cresceu bem ligado ao mundo da televisão. Ele tem sido chamado de primeiro escritor de TV da terceira geração mundial, como seu pai Tom Whedon, que foi um roteirista das produtoras de Cinema/TV: The Electric Company, The Golden Girls e Benson, enquanto seu avô John Whedon escreveu para The Dick Van Dyke Show e The Donna Reed Show.  Além disso, ele sempre buscou inspiração em sua mãe Lee Stearns. Segundo Whedon, ela foi uma inspiração extraordinária... "Uma feminista radical, uma professora de história em apenas uma fantástica mulher. Ela me forneceu um modelo de alguém que está completamente no controle de sua vida.". (Só por esse depoimento está claro, o porquê de Joss ter insistido em implantar uma serie com uma heroína de ação, em meio a supremacia masculina no universo de heróis da ficção).
   Joss começou sua carreira como um dos escritores-colaboradores na serie Roseanne (um sitcom famoso, que durou de 1989 a 1997), em que contribuiu escrevendo episódios durante a 2° temporada de exibição. 


A serie Roseanne era bem prestigiada nos EUA no fim dos anos 1980 - início de 1990. Veja a cena da protagonista Roseanne, em um episódio escrito por Joss Whedon. Reparem que o Glenn Quin (o Doyle em Angel) fazia parte do elenco regular


A ERA BUFFY

   Ao adquirir experiência em trabalhos coletivos, Whedon queria ousar em uma atuação solo como escritor... Eis que ele desenvolve, sua obra-prima: Buffy, a Caça-Vampiros (o filme-piloto), em que havia realizado o sonho de pôr em prática uma heroína de ação nas telas. Apesar de seguir uma trama que mistura terror com comédia-pastelão, o longa-metragem se saiu bem nas telonas dos cinemas americanos em 1992, e de vez em quando é sempre reprisado no Brasil pela Rede Globo nos ``Corujões´´ da vida (na verdade, antes passava sempre na Sessão da Tarde, mas por causa das limitações ridículas do Ministério da Justiça, devido à classificação de filme inapropriado para ser exibido durante o dia, só passa agora quando ninguém está acordado, a não ser os fãs fervorosos!).

O início do filme-piloto de Buffy, em que Joss inicia sua empreitada como
escritor-solo

   Apesar de bem aceito nos cinemas, Joss Whedon queria explorar um pouco mais sobre a Buffy. Eis que anos após a estréia do longa, produtores o abordaram querendo que ele desenvolvesse uma serie de TV com base na personagem do filme. E assim ele consegue patrocínio para desenvolver a serie televisiva entre 1996-1997, e se inicia uma longa parceria entre Whedon, a produtora Mutant Enemy e a Fox.
   Mesmo a história sendo continuação do filme de 1992, Joss introduziu um novo enredo e elenco. Com essa ousadia, ele estava sob um teste decisivo (pois não sabia como seria a reação do público com esse tipo de reinício); mas a surpresa viria: a 1° temporada que serviu como teste (daí a explicação de somente ter 12 episódios), foi um sucesso e a porta de entrada para produção de outras 6 temporadas bem-sucedidas.



Joss Whedon em alguns momentos distintos orientando 
os personagens da serie Buffy no set de filmagens


A ERA ANGEL

   Seu sonho de ter uma produção cuja protagonista é uma heroína de ação (Buffy), foi realizado. Mas paralelo a isso, ele notou que um personagem masculino estava bem prestigiado, e ao mesmo tempo que ofuscando o sucesso da personagem-título: trata-se do Angel. Joss queria explorar minunciosamente o personagem, mas sem deixar de lado e desmerecer a caçadora de vampiros. Com a obtenção de patrocínio e a parceria com outro escritor (David Greenwalt, de Arquivo X), a serie Angel é posta em prática em 1999. Graças a essa parceria com Greenwalt, Whedon não ficou sobrecarregado, e conseguia tranquilamente escrever e dirigir episódios das duas series (Angel e Buffy).
   Aqui no The Slayers Brasil, vocês puderam acompanhar um pouco mais de detalhes sobre a origem da serie do vampiro com alma. Caso alguém ainda não viu, é só clicar aqui!



Joss dando uma fugida da serie Buffy, para dirigir o 
crossover da Caçadora com Angel, na sua serie-solo na 1° temporada (1999)

Joss e elenco principal, em comemoração ao 100° episódio de Angel (You´re Welcome - 5°temporada/2004)

Joss orientando nos sets de filmagem de Angel


OUTROS TRABALHOS NA TV E NO CINEMA

   Além da serie Roseanne, Joss atuou também como escritor colaborador em filmes como Toy Story, Water World (ambos de 1995) e Alien Ressurection (1999), conseguindo ser indicado ao Oscar com Toy Story.
   A terceira serie de TV que Whedon idealizou foi o o sci-fi ocidental Firefly, que estreou em 2002. Rapidamente se tornou um sucesso de crítica e de culto, mas foi cancelada em meio a sua primeira temporada devido à baixa audiência. Enredos abandonados do show foram, posteriormente reaproveitados na sua continuação: o filme Serenity (2005), que Whedon tanto escreveu e dirigiu. Palavras de Joss: "Eu simplesmente amei o show e as pessoas queriam muito que não terminassem... quando eles cancelaram, então eu caçava alguém para concordar comigo". 


A terceira obra de Whedon, depois de Buffy e Angel: a serie Firefly (2002-2003)

Com o cancelamento da serie Firefly, Whedon conseguiu ressuscitar a trama
em um longa-metragem para cinema em 2005, com o filme Serenity
   

   Depois de Serenity, Whedon passou um período de tempo a escrever histórias em quadrinhos baseadas em ambas as suas próprias obras (Buffy, Angel e Firefly) e outras propriedades estabelecidas (Runaways, The Astonishing X-Men). Ele também foi indicado a escrever e dirigir o filme Mulher Maravilha, mas em 2007 anunciou que deixaria de estar trabalhando no projeto. 

Dr. Horribles: Um musical criado por Whedon 
durante a greve dos escritores americanos

Amostra em HQs do Buffyverse, que continua com as series de TV


   Durante o 2007 - Aliança de greve '08 do escritor (uma greve de categorias sindicalistas de escritores e roteiristas de TV, Rádio ocorrida entre 05/09/2007 - 12/02/2008), Joss Whedon em conjunto com seus irmãos Jed Whedon e Zack e Maurissa Tanchareon, criaram um musical original: Dr. Horrible Sing-Along Blog. Estrelado por Neil Patrick Harris, que foi filmado logo após o término da greve foi lançado on-line gratuitamente naquele verão, onde se tornou tão popular que o servidor virtual não conseguiu controlar a demanda e caiu. Dr. Horrible Sing-Along Blog mais tarde ganhou dois Emmy Awards. 


O quarto seriado criado por Whedon: DollHouse (2009-2010)

   Whedon voltou à televisão aberta em 2009, com o programa de televisão Dollhouse, formando novamente a parceria com Eliza Dushku (que interpretou a protagonista Echo). Durou por duas temporadas na Fox antes de ser cancelado. A partir de 2010 depois de Dollhouse, Whedon se dedica a escrever e dirigir os filmes da franquia Os Vingadores.

Joss Whedon, com Sarah Michelle Gellar e Nicholas Brendon 
em uma convenção de fãs que reune o elenco do Buffyverse

              
Joss nos bastidores com os três protagonistas de: 
Os Vingadores (Robert Downey Jr., Chris Evans e Chris Hemsworth)


O casal Joss Whedon e Kai Cole


O MAIS NOVO CINQUETENÁRIO

   Em 23 de junho de 2014, Joss Whedon completou 50 anos de vida, em que se tornou um bem sucedido artista por trás das câmeras (como sempre almejou ao longo de mais de 25 anos de carreira). Casado, vive com sua esposa, a artista Kai Cole, e seus dois filhos em Los Angeles (tá explicado o porquê das tramas do Buffyverse se passarem durante muitas ocasiões em Los Angeles!).
   Mesmo com novas empreitadas, Joss é sempre grato à obra que o fez decolar para o sucesso (o Buffyverse); tanto que quando sua agenda possibilita, ele participa de eventos organizados por fãs em que reune parte do elenco e produção.
   Essa é uma singela homenagem a Joss Whedon, expondo um pouco sobre sua trajetória. Afinal não seríamos agraciados com o fantástico universo de Angel e Buffy, se não fosse pela sua genialidade ao idealizá-las e realizá-las!

Fonte: site Biography

Joss Whedon  e os protagonistas de suas obras de sucesso na TV:
Buffy, Angel, Malcolm Reynolds (de Firefly e Serenity) e Echo (de Dollhouse)

2 comentários:

  1. Nossa, que matéria incrível!!! Valeu William Gunn!!

    Eu gosto quando o Blog ultrapassa episódios e personagens, mostra toda nossa visão de mundo através do mundo de Buffy, criado por este gênio incompreendido. Hoje é muito mais conhecido, faz bastante sucesso graças ao cinema, a franquia Os Vingadores na crista da onda da galera. Mas desde seus primórdios, ele foi um gênio pra mim, foi alguém que me apresentou os melhores personagens de um seriado de TV, tanto é que muitos projetos solos ficaram engavetados não por falta de inspiração e sim outros motivos.

    ANGEL foi o único que obteve um certo êxito com a audiência, mas não podemos deixar de destacar outras boas produções. A audiência é importante pra TV sim, mas não é tudo pra quem sabe e entende a genialidade de um Mestre em escrever
    grandes roteiros. Eu sou muito chata em relação a isso porque abomino preconceito. Eu sofri um certo preconceito da famílias e dos amigos por ser fã de Buffy e tentar mostrar a eles o que Buffy e seu criador tinha de tão especial. Hoje os mesmos que me "zoavam" reconhecem que ele é um cara super talentoso mesmo e que a série é ótima. Alguns ainda resistentes nos chamam de fanáticos, chatos, mas sinceramente isso não me afeta mais como antes. Li uma coisa no Box de séries uma vez "Fã de Buffy é chato porque todo fã de Joss Whedon é chato. Eles acham que o cara é um gênio".

    Enfim, azar de quem não entende este belo universo e seus artistas talentosos. Eu
    me sinto feliz em ter conhecido e fazer parte deste universo criado por ele, e que
    tenha mais 50 anos de vida ainda.

    ResponderExcluir
  2. Com certeza minha querida Flávia! A proposta do The Slayers BR é inovar, apresentando aspectos ligados à Angel & Buffy que jamais foram explorados por outras páginas brasileiras ou explorados de maneira fragmentada (sem ênfase), e sinto que esse avanço ocorre a cada postagem publicada pelos membros caçadores!

    Concordo contigo quanto a essa questão dele ter sido incompreendido. Simplesmente ele foi vítima daquele mesmo preconceito mencionado naquela máteria do Angel (a pessoa nunca conferiu o programa/serie por preguiça ou outro motivo, mas julga como horrível, só porque uma minoria rejeita, e não prefere tirar suas próprias conclusões). Hoje, acredito que o fato dele estar a frente de um projeto Hollywoodiano (Os Vingadores), provocará uma mudança de conceito nas pessoas quanto ao preconceito de anteriormente (em que vão dizer: ``Se ele produziu um grande filme como Os Vingadores, ele é mesmo um gênio... Vou então conferir Angel e Buffy, para ver se há essa mesma qualidade!´´)

    Geralmente expomos argumentos para defender um ponto de vista de gostarmos de algo (seja entretenimento ou outra coisa). O fato de chamarem os fãs de Whedon de chatos, é uma forma indireta de dizer que eles são admiradores fervorosos de algo marcante que ele desenvolveu... E além disso, essas pessoas podem não gostar de Angel e Buffy com muita intensidade em relação a nós, mas certamente eles devem curtir um outro filme, serie ou novela, que talvez não nos agrade tanto, mas que eles se tornarão ``Chatos´´ ao defender as qualidades daquele programa

    (Pelo menos é assim como eu interpreto!)

    Grato por mais um comentário enriquecedor!!!

    ResponderExcluir

Obrigado pelo seu comentário! Continue nos acompanhando!