segunda-feira, 8 de setembro de 2014

[Mesmo tempo, mesmo lugar] Buffy e Clark Kent: de médico e louco, todo herói tem um pouco



“Todos os mundos precisam de heróis porque eles despertam o melhor que há em nós e porque eles nos protegem das trevas que estão sempre à espreita." 

                                                                                                                     - Martha Kent


A pouca idade, as obrigações, o dever sagrado, a conduta altruísta que todo herói deve ter para carregar o mundo em suas costas, às vezes cobra o seu preço. Buffy, a caça-vampiros e Clark Kent, o futuro Super-homem já sentiram isso na pele, literalmente. 

O jovem que veio de Krypton é interpretado por Tom Welling, na série Smallville, criada por Alfred Gough Miles Millar.

A série conta a trajetória de Clark residindo na cidade fictícia de Smallville (Pequenopólis, na dublagem brasileira), durante os anos antes dele se tornar o "Superman". A ideia central é mostrar a vida do Homem - de - Aço e toda a sua trajetória se a sua nave tivesse caído na Terra nos tempos atuais, mesclando a modernidade do século XXI com elementos e valores antigos, e segundo algumas críticas iniciais, muito se inspira em Buffy e sua temática jovem. 



Mas não é só no contexto jovem que as duas obras tem ligação. Como vimos na sexta temporada de Btvs, o enredo nos apresentou uma heroína confusa e dispersa de sua missão depois de ter trazida de volta de forma traumática por seus amigos. 

Na cabeça de Buffy ela já havia cumprido seu ciclo de Caçadora. Dar a vida para salvar o mundo de um desastre de grandes proporções. Acordar do sono eterno e perceber que está novamente no mesmo mundo cruel que teve de deixar, a fechou para seus pensamentos e a isolou de seus amigos. Com isso, não foi muito difícil se refugiar num mundo de ilusão depois de ter sido infectada por um Demônio. Assim nascia a sinopse de um dos melhores episódios da série. 

Buffy numa clínica: peças de sua mente fragmentada pelo mundo real

Em Normal again (Normal de novo), episódio 17 da sexta temporada, Buffy quase descobre o esconderijo do Trio de Nerds, que safos como sempre, convocam um Demônio. Com uma poderosa toxina no seu sangue, a caçadora vai parar então num mundo que a cidade de Sunnydale simplesmente nunca existiu. 

Neste mundo, Buffy se encontra internada numa Instituição Psiquiátrica há mais ou menos 6 anos, tempo em que teria visto seus primeiros vampiros. O médico responsável por seu “tratamento” tenta fazer com que ela acredite que não é uma Caçadora de vampiros e tudo que vivera até aquele momento, eram delírios de uma mente perturbada. 

Demônios, Deuses, Super vilões, irmãs místicas, e até seus amigos de Sunnydale. Nada disso era real e que agora sim ela estava vivendo um momento de lucidez. O mesmo momento em que viveu quando morreu na bola de energia ao final da quinta temporada. Supostamente, Buffy teria recuperado a consciência, mas quando Willow, Tara, Xander e Anya a trouxeram de volta, ela reviveu sua doença, uma espécie de Esquizofrenia. Foi justamente este ponto que fez com que relutasse tanto a sair do “Hospício”, pois parece uma loucura para quem vive ou quer viver uma vida dentro da normalidade. 

Da morte à ressurreição, o choque de realidades:
coisas demais para uma mente cansada de lutar

Buffy sempre desejou ser uma garota normal e mesmo estando naquele lugar de gente doente, a fez criar um feixe de esperanças para que enfim tudo que almejou fosse a realidade que queria. Era muito mais fácil para ela aceitar que era uma garota com problemas mentais do que uma Caça-vampiros. 

Enquanto Dawn e seus amigos tentavam ajudá-la com o antídoto em Sunnydale, Buffy se prendia naquele lugar com sua mãe viva e seu pai, ainda casados. Tudo estava da maneira que queria. Era só ela dar um SIM para o tratamento que consistia em eliminar aqueles que a estavam prendendo no mundo que odiava agora. Assim ela colocou em risco a vida dos amigos até se recuperar.




Cinco anos depois, os roteiristas da consagrada Smallville molda a mesma história de fuga de um Herói. Labyrinth, episódio 12 também de sexta temporada, nos trouxe o jovem Clark Kent também internado numa Instituição para doentes mentais. 

Aqui Clark não foi infectado por um Demônio e sim atacado em seu celeiro por um Fantasma que libertou da Zona Fantasma no início da sexta temporada. O Ser maligno se apossou temporariamente de seu corpo, invadiu sua mente e o fez acreditar que todos os amigos, inimigos, vilões, seus poderes e linhagem alienígena eram frutos de sua doença. O objetivo do vilão era se apossar inteiramente do corpo kryptoniano de Clark para libertar todos os fantasmas e depois escravizar a humanidade.

Labyrinth: um dos melhores roteiros de Smallville

Como também desejava ser uma pessoa normal - mais do que isso, afinal, Clark é um extraterrestre - ele escolheu se refugiar num mundo tranquilo e seguro para ele. Um mundo em que sua chegada à Terra nunca havia destruído a vida de muitas pessoas. Que Lana Lang, sua paixão, não estava envolvida com Lex Luthor, seu maior rival e que seu pai nunca morrera por conta das escolhas equivocadas que fez. 

Por tudo isso, foi mais fácil para Clark entender que a vida que estava vivendo na sua mente (o mundo real do seriado) não era a ideal para ele, mesmo não sendo tão humano como os outros. O mesmo SIM para o tratamento foi dito por ele. 


“Você sabe quem você é, confie em si mesmo. 
Procure em seu interior, acredite”


Quando seus amigos estavam prestes a serem devorados pelo mesmo Demônio que a infectou, Buffy recebe ajuda. Joyce, que sempre estaria com ela, conduziu a filha de volta a realidade depois de dizer o quanto ela era forte, especial e que poderia lutar contra tudo aquilo se acreditasse. Claro que na realidade paralela em que se encontrava, Joyce não estava falando do mundo de Buffy caçadora e sim Buffy como mulher, pessoa. 

As palavras de Joyce mesclaram-se na mente de Buffy, que depois de um "Thank You", enfim pôde retornar do transe e voltar a ser a Heroína que sempre foi. 



A ajuda para Clark veio de seu cachorro, Shelby (O Super cão) com um latido bem distante, confirmando que ainda estava no celeiro de sua Fazenda. Mas foi de um amigo marciano que veio a saída definitiva. 

Ele era a voz da perturbada consciência de Clark naquele sanatório de ilusão. O marciano estava ali no celeiro o tempo todo tentando exorcizar o fantasma do corpo de Clark, mas só poderia obter êxito se o próprio Clark abrisse mão de todo aquele desejo de ter uma vida normal que sempre sonhou ao lado de Lana. Era preciso que ele acreditasse em quem era, no destino de ser um herói vindo de um planeta distante para ajudar os humanos. 



Se as palavras de Joyce foram o carro-chefe para que Buffy voltasse do transe, Clark precisou de um pouco mais que isso. Precisou de poderes místicos de outro planeta. No entanto, ambos beberam da mesma fonte: conhecer a si mesmo. Antes de matar vampiros e salvar vidas com super poderes, eles são filhos, amigos, pessoas que tentam viver uma vida normal em meio a um mundo anormal de tanto medo, violência e seres perversos. Eles sabem que são o remédio para um mundo doente. Esperança em meio a desesperança, solução em meio aos problemas, alivio em meio a tormenta. 

Responsabilidade que às vezes pesa nos ombros de qualquer um. A missão de um Herói pode ser ainda mais complicada para quem não é Buffy e Clark Kent. Dois jovens que se valem de coragem, fé e humanidade. A mesma humanidade que os salvou da fraqueza para se perder e Heróis daqui ou de um mundo distante, que fizeram da mesma determinação para se encontrar. 

6 comentários:

  1. Com certeza, os roteiristas de Smallville, devem ter assistido parte por parte o episódio normal again, da serie Buffy.

    Para se afirmar como herói(na) não basta somente salvar os outros, mas também salvar a si mesmo(a), enfrentando seus monstros desafios internos (utilizando sua humanização por exemplo), e se for capaz de triunfar sobre isso, será forte o suficiente para encarar as adversidades externas.

    Esse início da sexta temporada foi inteligente, pois conseguiu descosturar de forma fantástica algo que já havia sido encerrado na temporada anterior (com o sacrifício de Buffy para derrotar Glória (Glory). Ressuscitar a heroína e dramatizar sua luta para lidar com um fato que confrontou a ordem natural das coisas (a ressurreição), é digno de se assistir, pois nem todas as produções de TV e cinema exploram minunciosamente esse aspecto, em que sempre mostra de forma breve, difusa e confusa.

    Hipotetizando as coisas, Flávia, você concorda que os dois encontros com o espírito da primeira Caçadora (no final da 4° temporada e no final da 5° temporada), pode ter tido uma grande contribuição na resiliência de Buffy em superar esse transe e ter escutado a Joyce, tendo em vista que ela era meio rebelde durante boa parte da serie??

    Um show de conteúdo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu também me amarro demais nesta sexta temporada. Muito humana mesmo e bem delineada.

      Concordo sim, até porque ela estava com a ideia na cabeça "A morte é o seu dom". Portanto, quando morreu, ela acreditou mesmo nesta afirmação. Inclusive teve um episódio antes do último, O peso do mundo em que a Willow entra na mente dela e ela meio que se refugia naquele mundo. A personalidade de Buffy é forte e complexa.

      Excluir
  2. E eu pensava que so a criptonita enfraquecia o superboy rsrs, mas até ele enfrentou uma crise psicologica.

    como já falaram o tal episodio da sexta temporada poe muito drama, talvez no mesmo nivel daquele episodio que a mae de Buffy morreu, e isso prende a nossa atenção em assistir.

    Ainda bem que a 6 temporada dublada chegou no momento certo desde que comecei a ver toda a serie.

    Foi nteligente Flavia em juntar esses dois herois em uma materia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada Helen pela disponibilidade em comentar.

      Exatamente isso. não sei se você acompanha Smallville, então vou tecer um pequeno comentário aqui pra vc entender melhor. Nesta temporada (a sexta) Clark tava passando uma barra também. Lana, seu Amor, estava noiva de Lex, seu pior inimigo, seu pai tinha morrido depois de se eleger Senador, e com isso sua mãe teve de ir embora para ocupar seu lugar Senado. Sua melhor amiga Chloe, estava namorando e como guardava seu segredo, ficava difícil pra ela administrar isso. Enfim, acho que o drama da Buffy foi maior, mas Clark por tudo isso, também teve o seu momento de fraqueza querendo se refugiar em um mundo "doido".

      Valeu querida pela participação

      Excluir
  3. Um belo paralelo sobre as duas séries, Flávia! Dois grandes heróis da TV, que deixaram uma marca registrada em nossa adolescencia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não poderia ter colocado melhor Teel, como sempre ótima com as palavras.

      Excluir

Obrigado pelo seu comentário! Continue nos acompanhando!